5 benefícios da internalização dos ensaios em lubrificantes

7 minutos para ler

A internalização dos ensaios em lubrificantes é uma escolha importante para uma melhora da eficácia da manutenção preditiva na indústria. Também é essencial para economizar tempo e dinheiro de empresas com procedimentos laboratoriais que podem ser recorrentes e precisam de resultados constantes.

A análise de óleo é uma das técnicas mais importantes para a manutenção preditiva na indústria. Isso porque permite entender melhor a transformação dos fluidos na condição de trabalho atual e a adequação do calendário de paradas para uma eficácia ainda maior que a recomendada pelos fabricantes.

Neste artigo, selecionamos 5 benefícios da internalização dos ensaios em lubrificantes em relação ao outsourcing do serviço em laboratórios externos. Mas antes, vamos entender melhor a importância da análise de óleo na indústria.

Análise de óleo: essencial para a manutenção preditiva

Qualquer falha inesperada em um equipamento industrial é um incidente grave, que pode ser catastrófico se envolver algum risco para a equipe que opera o maquinário. Por isso, é importantíssimo realizar manutenções preventivas e preditivas, minimizando as chances de que seja necessária uma manutenção corretiva.

A manutenção corretiva é aquela realizada quando o equipamento falha em operação. Isso acarretará, no mínimo, em uma parada não-planejada da linha produtiva. Tal parada pode causar atrasos na produção, realocação imediata de h/h, prejuízos em geral e até desgastes na relação da empresa com os seus clientes.

Além disso, os custos do conserto ou da substituição do maquinário são despesas inesperadas que podem ser altíssimas, prejudicando o orçamento da empresa.

Seguir o calendário de manutenções preventivas, normalmente sugerido pela fabricante do maquinário, é crucial para reduzir esses incidentes, mas não é a única ferramenta à disposição.

Além da preventiva, existe a manutenção preditiva, que, como o nome sugere, “prevê” falhas e permite a interposição de ações inteligentes que podem evitar que elas aconteçam e são um dos pilares da construção de confiabilidade e disponibilidade dos ativos.

O trabalho de previsão da manutenção preventiva não se vale de bola de cristal ou tarô, mas sim da coleta de dados de operação como:

  • a análise de vibração;
  • a mensuração da temperatura dos motores;
  • e, claro, a análise de óleo.

A análise de óleo é fundamental em qualquer máquina que utilize lubrificantes, líquidos de arrefecimento e outros fluidos similares. Na prática, quase todos os equipamentos no setor industrial têm partes móveis nas quais o atrito se faz presente e, dessa forma, precisam da lubrificação para minimizar o desgaste.

Mas o próprio óleo ou graxa utilizado nas máquinas se desgasta e precisa ser trocado. Às vezes muita umidade é absorvida, comprometendo a eficácia da lubrificação.

Resíduos metálicos, poeira e outras impurezas também comprometem a eficácia do lubrificante. Mas, com a análise regular do óleo, é possível não apenas constatar essas condições, como também interpretar a velocidade em que elas acontecem e entender quando é o momento ideal de parar as máquinas para a troca de óleo.

Os 5 principais benefícios da internalização dos ensaios em lubrificantes

Não dá para afirmar, com certeza, que toda indústria deve trazer a análise de óleos para “dentro de casa”. Isso depende muito do tamanho da operação, das condições de trabalho, do maquinário utilizado e até da estratégia geral do negócio.

Mas é seguro dizer que a maior parte das empresas do setor pode se beneficiar de diversas formas com a internalização dos ensaios em lubrificantes. Quando isso for possível, vale a pena investir. Confira os 5 principais benefícios a seguir.

Powered by Rock Convert

1. Redução de custos com a manutenção preditiva

Depois de um investimento inicial com a aquisição de equipamentos especializados — que usualmente não têm custo proporcionalmente alto — e com o treinamento da equipe que realizará os ensaios em laboratório, a tendência é que a internalização deixe a manutenção preditiva bem mais barata.

A contratação de parceiros para análises laboratoriais é justificável e inteligente quando isso é feito poucas vezes. Mas a análise de óleo deve ser regular e, quanto mais “atual é a foto”, maior o índice de eficácia da interpretação dos ensaios.

2. Otimização do tempo da força de trabalho

Outra razão importante que justifica a internalização dos ensaios é a otimização da agenda de trabalho na empresa. Nem sempre é preciso parar o maquinário para coletar o óleo, mas em alguns momentos não existe escapatória e o trabalho operacional deve ser pausado para a intervenção do técnico.

Mesmo quando isso não acontece, a presença do time de coleta pode causar um pequeno distúrbio operacional. Por isso, o ideal é que essas ações sejam realizadas, por exemplo, na troca de turnos, em horários de baixa demanda ou em qualquer momento oportuno, que varia de acordo com o negócio.

Com a internalização dos ensaios de óleo, é possível ter um controle maior dessa agenda de manutenção e um planejamento eficaz de quando a preditiva será realizada.

3. Agilidade na obtenção de resultados das análises

É um benefício evidente, mas que vale a pena ser ressaltado: com um número menor de intermediários envolvidos no processo, os resultados das análises chegam mais rápido nas mãos de quem precisa.

A internalização dos ensaios também agiliza o processo, porque não demanda o tempo de transporte das amostras até um laboratório externo, o que faz com que as interpretações sejam bem mais imediatas. Pode-se trocar semanas ou dias por minutos e segundos.

4. Melhor precisão da análise preditiva

Dois motivos justificam uma precisão melhor da análise preditiva quando os ensaios de óleos são feitos internamente.

Em primeiro lugar, a qualidade da amostra: o óleo coletado em campo chega muito mais rápido ao laboratório, sendo observadas as reais condições de operação, do que aquele que é enviado para um parceiro externo.

Além disso, as orientações de coleta podem ser ainda mais precisas e o time do laboratório é capaz de, inclusive, acompanhar a coleta no maquinário se julgar necessário.

O segundo motivo para uma precisão melhor é a visão holística do time que realizará a análise. Como os especialistas já conhecem melhor o maquinário e os processos da empresa, além de terem acesso facilitado a outros dados de análises preditivas, podem interpretar melhor os resultados e avaliar tudo com ainda mais especificidade.

5. Controle maior dos processos de manutenção

Por fim, é importante ressaltar que a análise interna dá mais controle para a empresa nos seus próprios processos de manutenção. E isso é extremamente importante: a manutenção é cada vez mais reconhecida como uma área estratégica e não apenas operacional.

Ou seja, além de aparecer para “tapar buracos e apagar incêndios”, a manutenção também é planejada para reduzir custos, aumentar a produtividade e minimizar riscos e incertezas no negócio. As análises de campo são ferramentas valiosas no conceito da Lubrificação Classe Internacional, bem como dos preceitos da Manutenção 4.0.

Por isso, a internalização dos ensaios em lubrificantes pode parecer algo simples, mas faz parte de um escopo maior no controle dos ativos estratégicos do negócio.

E agora que você já conhece os benefícios, que tal considerar a internalização dos ensaios em lubrificantes na sua empresa? Entre em contato com a Pensalab agora mesmo pelo WhatsApp (11) 94124-9385 e faça um orçamento!

Posts relacionados

Deixe um comentário